Curiosidades > História do Papel

O homem começou a registrar sua história por volta de 6000 a.C., através de entalhes em pedra, madeira ou placas de barro. A escrita surgiu independentemente no Egito, na Mesopotâmia e na China. Desde então, os materiais utilizados para gravar informações evoluíram de forma extraordinária e culminaram hoje com o aproveitamento de espécies florestais de rápido crescimento que se transformam em papéis de alta qualidade. Eis alguns dos mais importantes eventos da história do papel:


  • 105 d.C. - A invenção de papel é atribuída a T'sai Lun na China, fabricado a partir de fibras de cânhamo trituradas e revestidas de uma fina camada de cálcio, alumínio e sílica;
  • 1000 até cerca de 1830 - Trapos velhos eram o insumo básico da indústria de papel até meados do século XIX (costume interrompido em meados do século XVII, quando se acreditava que os restos de pano contribuíam para a propagação da peste);
  • 1719 - O naturalista francês Reaumur sugere o uso da madeira como matéria-prima para o fabrico de papel, ao observar que as vespas mastigavam madeira podre e empregavam a pasta resultante para produzir uma substância semelhante ao papel na confecção de seus ninhos;

Meados Séc. XIX - Surge a demanda de papel para a impressão de livros, jornais e fabricação de outros produtos de consumo, levando à busca de fontes alternativas de fibras a serem transformadas em papel.

Este então o papel vem assumindo seu lugar de destaque na economia, sendo originado da pasta celulósica ou reciclado. Este segundo, vem-se destacando cada vez mais pelo seu lado social, econômico e de defesa ao meio ambiente.

Da Pedra ao Papel